Patricia Novaes
Obrigada meninas pelos comentários, pela ajuda e preocupação de algumas pois chegamos até a trocar emails. Agradecimento especial à Helissa e à Amanda, e claro sempre a Carolzinha do Shhh

Esclarecendo sobre a amamentação do Octávio:
Quando ele nasceu o colostro desceu direitinho, mas quando viemos para casa a minha produção de leite não foi suficiente.
Ele nasceu com 2800kg, saiu da maternidade com 2400kg (normal essa perda nos primeiros dias) e 21 dias depois pesava 2600kg (devia pesar 3200kg segundo a pediatra), ele chegava a passar 3 horas no meu peito e sugava o tempo todo, eu não tinha leite e ele só chorava, era muito nervoso, foi ficando amarelinho e cada dia mais magrinho, quase ficou desnutrido.
Eu não sabia que era falta de leite e não tive ninguém para prestar atenção e me orientar. Viam o menino no meu peito durante horas e não me falavam nada, hoje eu sei que se ficou mais 40 minutos (1 hora vai) no peito é porque algo está errado.
Então com 21 dias a pediatra me orientou a dar os 2 peitos (10 min cada 1) e depois dar uma mamadeira de Nan. Pela primeira vez depois de 21 dias eu dei um banho e troquei a fralda do Octávio sem que ele chorasse. Também coitadinho: imagine-se com fome o tempo todo, todo mundo fica irritado quando está faminto não é?
Eu passei a tomar equilid, plasil, cápsulas de alfafa e a espirrar um spray no nariz para produzir mais leite, mas infelizmente não teve jeito minha produção não foi suficiente para cortar o Nan.
E seguimos assim: peito e Nan até que dia 17/02, com 3 meses e 7 dias, ele se negou a pegar o peito, ele não quis mais sugar, eu encosto o peito nele e ele fica nervoso, grita e ai eu espirro leite na boca dele e encosto novamente o peito e ele grita mais nervoso ainda. Ai quando ofereço a mamadeira ele pega na hora.
Eu achava que amamentaria exclusivamente até os 6 meses e queria também doar leite pro banco de leite da cidade para ajudar outros bebês. Infelizmente a sociedade hoje cobra muito a mulher em relação a amamentação, dizem: “não tem leite ruim ou insuficiente”, como não tem gente? Eu fiz de tudo e pra mim não deu certo! Graças a Deus a minha pediatra é menos radical sobre esse assunto: ela disse que acontece com freqüência das mães terem pouco leite, e disse ainda que pode ser genético (o que parece ser meu caso).
Eu ouvi semana passada de uma pessoa próxima de mim e que sabe o que eu passei pra amamentar essa historia de que não tem leite ruim, ai que raiva, queria que ela estivesse na minha pele. Então, por favor, vamos ser mais compreensíveis com as mães que tem essa dificuldade, nós mães nos damos 100% aos nossos filhos e fazemos tudo o que podemos para que eles cresçam fortes e saudáveis. Não é porque algumas vazam leite de tanto que produzem que todas são assim, vamos facilitar a vida para essas mães pois elas JÁ SENTEM MUITA CULPA! E não é porque o bebê mamou pouco no peito que a saúde dele é ruim ou recebe poucos nutrientes, não é possível que esses leites artificiais sejam tão porcaria assim e uma porção de crianças cresce saudável mamando só leite artificial.
Eu me incluo nessa turma das CULPADAS, não teve jeito: o Octávio não quis mais saber do peito e eu decidi virar essa página e seguir em frente, já chorei, já me descabelei, já insisti, já fiz de tudo! Minha produção é insuficiente e meu bebê se nega a mamar a “merrequinha” de leite que eu produzo com tanto sacrifício. É muito difícil aceitar que não vou mais amamentar, mas eu vou fazer o que??? Ele não pega mais o peito!! Vou seguir tirando o leite com a bombinha, mas sei que vai acabar secando o leite, não tem jeito!

E agora seguimos em frente!

Patricia Novaes
3 Responses
  1. Helissa. Says:

    Olá Patricia!
    Que pena que não podes seguir adiante com a amamentação, mas como dissestes, vire a página.Acompanhe o crescimento do filhote com o mesmo amor de sempre!
    Essa coisa do leite fraco e tal, eu acredito sim. Uma que realmente pode ser genético. As mulheres da minha família nunca passaram dos 4 meses amamentando. Minha mãe mesmo amamentou eu e meu irmão, por 3 meses só. Mas tem uma série de fatores, e conhecendo as histórias das pessoas, você vai vendo que realmente o "mito" do leite fraco, não é mito. Seja por alimentação inadequada ou insuficiente, fatores genéticos, stress...xiii, uma infinidade de coisas. Mas não fique te sentindo culpada, apesar de ser natural esse processo. Ao invés disso, curte os momentos com essa coisinha maravilhosa e linda que tens nos braços. Sempre que precisares de ajuda, opinião e eu tiver como te ajudar, é só prender o grito! Beijocas!


  2. Patrícia, obrigada pela visita e pelo carinho de sempre! Espero contribuir e muito para encorajar vcs em viagens! rs! Com relação à amamentação, isso ocorre mais que o normal. Lá no blog tem várias dicas para aumentar a produção de leite. É um trabalho àrduo muitas das vezes! Mas tudo passa! Quanto tempo tem o seu filho?
    bjs,


  3. Amauri Says:

    Poxa, chato não poder mais amamentar (eu acho que deve ser chato, né?). Minha esposa fez redução de seios e também não produz leite suficiente, mesmo obedecendo á demanda do bebê. Nesta última semana, um dos seios que não produziam leite começou a produzir. Vou conversar com o pediatra dele pra ver se podemos tentar diminuir o NAN e amamentar mais com o leite materno, embora em sempre tente dizer pra minha esposa que pode não ser possível, e que a amamentação, embora ideal, pode não dar certo. A mãe dela vive insistindo que "isso é bobeira", porque ela também fez redução nos seios e amamentou muito bem. Mas eu sempre insisto que cada mulher é única, e o procedimento que não afetou nada em uma pode afetar totalmente a outra.

    Espero que você se dê muito bem com seu filhote, e que ele cresça muito forte e saudável. A Ciência está longe de ser a Natureza, mas tem ajudado bastante a nós, seres humanos com certas dificuldades que os humanos "perfeitos" não conseguem entender e nem querem enxergar.


Lilypie - Personal pictureLilypie First Birthday tickers